Gamay e Grenache: 1001 cepas

Gamay e Grenache: 1001 cepas

Mais informações sobre as uvas que caíram no gosto dos apreciadores ao redor do mundo: Gamay e Grenache. Boa leitura!

Gamay

A Gamay é uma daquelas cepas que se originam de maneira misteriosa. Ela seria muito antiga, sem dúvida anterior ao século XIII e talvez na região de Beaujolais. Ainda que não propicie grandes vinhos, a Gamay permitiu produzir um estilo de vinho tinto leve, amplamente difundido em todo mundo, vindo daí a sua fama.

Principais terroirs: A Gamay ama os terrenos de granito. Ela é, antes de mais nada, a única cepa do Beaujolais tinto, ainda que tenha se desenvolvido no Vale do Loire, em alguns vinhedos do centro da França e na Suíça.

Caracteríscticas: o vinho procedente da Gamay é leve, rico em aromas primários e com sabor de frutos maduros. É pouco tânico e frequentemente ácido. A popularidade dessa cepa foi assegurada na vinificação tradicional exalando muito mais seus florais frutados.

 

Grenache

Esta cepa é de origem espanhola, sendo implantada na França no século XIV. Teve boa ambientação no vale do Rhône três séculos mais tarde.

Principais terroirs: a cepa é cultivada em todos os departamentos do sul da França. Dá seus melhores resultados em colinas secas e pedregosas. É a principal cepa tinta na Espanha e frequentemente completa a Syrah na Austrália.

Características: o vinho à base de Grenache é rico em álcool, capitoso e com pouca acidez. Sua faculdade de se oxidar é explorada na elaboração dos vinhos doces naturais. Na França, para obter vinhos de guarda, a Grenache frequentemente é associada à Mourvèdre e à Syrah. Na Espanha, ela dá vinhos leves na Roja e mis consistentes na região de Valladolid.

A Carpe Vinum indica para experimentar as nuances da Grenache, o Village Vacqueyraz Ondines, um original Cote Du Rhône que emana o tratamento das uvas colhidas manuamente e o suave sabor de cereja em sua composição.