Vinhos Italianos

Vinhos Italianos


Um dos países mais tradicionais no vinho, a Itália esbanja história e tradição. Muito do que sabemos dos vinhos nos dias de hoje foi resultado de muitas garrafas italianas percorrendo o mundo. Venha conosco para conhecer um dos berços da vitivinicultura do mundo! 

O cultivo de videiras se difundiu na Itália no segundo milênio antes de Cristo graças ao comércio com a Grécia Antiga e com o Oriente Médio. Com o surgimento da sociedade romana, a produção de vinho cresceu ainda mais, se tornado uma arte. Basta lembrarmos que um dos Deuses mais cultuados na civilização romana era Baco, protetor das videiras e do vinho. Nesse tempo, as uvas eram amassadas com os pés. A Itália era conhecida como Enotria – Terra do Vinho, e foram os romanos, com suas invasões e conquistas, que difundiram a tradição no cultivo de videiras.

Principais regiões



A Itália é conhecida por seus vinhos concentrados e rústicos. Para entender a a tipicidade de cada região, vamos dividir o país em três grandes áreas, de acordo com o clima diferenciado.

Norte

Os vinhos do Norte da Itália recebem um clima mais fresco. Com isso, a acidez das uvas consegue ser bem pronunciada, além de possuir aromas de frutas frescas e ervas. A produção principal são o vinho Prosecco ( denominada agora como produto da uva Glera), Moscato d'Asti e a uva Barolo de Nebbiolo.

Vêneto

O Vêneto é a maior região do nordeste italiano e tem por capital a cidade de Venezia. A região é marcada pelo Lago di Garda ao oeste, pelos Alpes ao norte e pelos grandes vales que se estendem para o sul. Os melhores vinhedos se localizam ao norte do rio Ádige.
O Vêneto responde por cerca de 10% de toda a produção de vinhos italiana, possui grande variedade de estilos, desde os espumantes até os fortificados. 
De lá, apresentamos o Espumante Moinet, um legítimo Prosecco de Vêneto que possui excelente brilho e perlage.  Tipicamente fragrante, deixa o palato limpo e finamente perfumado.

Região central

Os vinhos da região central da Itália têm maior acidez, além de possuir aromas de fruta madura, couro e barro. Suas principais produções são a uva Sangiovese (base do Chianti), Vermentino e Montepulciano.

Abruzzo 

Abruzzo é uma região emergente na Itália, conhecida principalmente pelos saborosos vinhos Montepulciano d’Abruzzo, que podem ser exemplares muito agradáveis e cheios de fruta, com ótima acidez. Localizada na parte centro-oriental da Itália peninsular, a região de Abruzzo possui fundamental importância para a vinicultura italiana. Abruzzo é a quinta maior área produtora de vinhos italianos. 
O vinho tinto Montepulciano d’Abruzzo não é somente o símbolo da região de Abruzzo, como também é um dos vinhos italianos mais comercializados em todo o mundo. Em 1968, o exemplar recebeu a DOC Montepulciano d’Abruzzo. Tal denominação abrange a maior parte da região italiana.

Toscana

A produção de vinhos é uma atividade florescente na região italiana da Toscana desde a Idade Média e nos dias atuais é mais conhecida por seus jovens vinhos tintos de mesa, representados principalmente pelo Chianti e por um vinho de primeira grandeza no panorama vinícola mundial, o Brunello de Montalcino. 
Como a paisagem da Toscana é ondulada, com muitas colinas, os vinhedos situados nas encostas em pontos relativamente altos fornecem a maioria dos vinhos de qualidade superior da Toscana. Isto porque nestas altitudes há concentração da luz do sol pelo tempo necessário para favorecer o correto amadurecimento das uvas.
Outro fator valorizado pelos produtores é a significativa variação de temperatura entre dia e noite nas zonas mais altas. O clima da Toscana é classificado como mediterrâneo e ali os invernos são rigorosos.
Um belíssimo exemplar da Toscana é Pietraserena Brunello Di Montalcino 2012.  Envelhecimento por 48 meses em barricas de carvalho francês, representa a expressão máxima da vinicultura italiana. Muito denso e persistente, amplo e de bom corpo, apresenta notas de alcaçuz e frutas silvestres.

E os Supertoscanos?

Supertoscanos nada mais são que uma nomenclatura popular para os blends ou varietais da Toscana que utilizam cepas não nativas da Itália, como a Merlot e  Cabernet Franc. É fácil diferencia-los de outros vinhos da Toscana pois têm nomes próprios estampados nos rótulos. O nosso exemplo é o Ser Gervasio Toscana, uma bela produção da Toscana com a uva Merlot, que detém  aromas típicos intensos com o passar do tempo. Muito perfumado e frutado.

Sul e Ilhas 

Os Vinhos do Sul da Itália têm acidez média, aromas bem adocicados  de fruta e couro. Suas principais produções são as uvas Vermentino, Primitivo e Nero d'Avola.

Puglia

Puglia fica no “calcanhar da bota” do mapa italiano. A região é cercada por praias consideradas as mais lindas da Itália. Além de paisagens de tirar fôlego, o sul da Itália é considerado o berço do vinho italiano. A região tem ampla diversidade de uvas nativas, que conferem status quando o assunto é exportação. Ao norte da região as uvas mais abundantes são a trebbiano e a sangiovese e os vinhos gerados a partir dessas espécies respondem por até 30% dos vinhos DOC produzidos na região. 
Uma das uvas de maior sucesso da região é a Primitivo, que está no belíssimo de exemplar da Primitivo di Puglia. Esse vinho possui aromas de frutas negras, como a amora madura e ameixa em compota, apresenta notas florais, de chocolate e baunilha.

Sicília

Sicília é a maior ilha do Mediterrâneo, separada da Itália pelo Estreito de Messina. Com áreas montanhosas e acidentadas, os solos da região italiana são pobres e localizam-se em encostas com ótima incidência de raios solares. Já o clima, com verões intensos e baixa quantidade de chuva, torna a região italiana ideal para que as videiras alcancem o ápice de sua qualidade.

A maior parte dos produtores da região dedica-se ao cultivo de uvas nativas, que apresentam sua verdadeira personalidade na Sicília e dão origem a maravilhosos vinhos. A autóctone Nero d’Avola tem coloração intensa e presença de taninos estruturados e robustos, e tem sido utilizada na elaboração de vinhos varietais que se tornaram símbolos da Sicília.

 

Gostou dessa pequena viagem à Italia? Compartilhe conosco qual o seu vinho italiano favorito e faça parte dos apreciadores da Carpe Vinum. Até a próxima!