Vinhos Veganos

Vinhos Veganos

Uma alternativa de consumo saudável crescente nos dias de hoje, a alimentação vegana está tomando proporções bem interessantes no nosso dia-a-dia. Vale a pena pensar um pouquinho sobre o que no sfaz bem e como uma alimentação dessas nos afeta.

Sempre com muito carinho, a Carpe Vinum apresenta os fatores que levam um vinho a ser vegano ou não. E se liga nas dicas da nossa loja para o consumo!

Basicamente, o vinho é produzido pela fermentação de uvas. Mas por que, então, ele não é sempre vegano?

A produção do vinho é, a princípio, um processo simples: leveduras, naturais ou cultivadas, convertem os açúcares do suco de uva em álcool. E isso parece totalmente compatível com a alimentação que segue os princípios veganos, não é?

Mas a questão que está pegando no mundo dos vinhos é a forma como o vinho é clarificado.

A clarificação é um processo de purificação do vinho, no qual um agente filtrante é adicionado ao tanque ou barril. Para isso, é adicionado uma proteína que atrai as matérias sólidas e as faz precipitarem (ir ao fundo do tanque). Caso essas estruturas não sejam retiradas, o vinho ficaria turvo e não brilhante e traslúcido, como o  conhecemos. Essas substâncias utilizadas no processo de clarificação podem ser de origem mineral, ou animal. Alguns dos agentes filtrantes mais comuns são caseína (uma proteína do leite), gelatina (proteína animal) e albumina (vinda da clara do ovo).

Vale lembrar que essas substâncias não permanecem no vinho, apenas funcionam como um ímã para as matérias sólidas que serão retiradas. Mas o uso delas é o suficiente para eliminar a bebida da lista de consumo dos adeptos ao veganismo.

E agora?

Existem produtos utilizados na clarificação, por alguns produtores de vinho, que são de origem mineral, como a bentonita e o carvão ativado. Nesse caso, o vinho produzido pode ser considerado vegan-friendly, ou seja, adequado, também, aos veganos.

Além disso, alguns vinhos utilizam somente processos de autoclarificação natural, ajudada pela trasfegadura até remover os sedimentos. Esses vinhos “artesanais”, nos quais evitam-se processos artificiais de clarificação e filtragem, também estão de acordo com os princípios do veganismo, e são chamados vinhos naturais - produzidos com uvas cultivadas organicamente, ou mesmo biodinamicamente, sem a utilização de fertilizantes artificiais e defensivos químicos, e sem organismos modificados geneticamente. 

Aqui conosco, possuímos dois excelentes rótulos que tem esse compromisso com uso de substâncias: Sutter Home Zinfandel  e Angoves Long Row Syrah. Suas vinícolas estão compromissadas em deixar seus vinhos o mais natural possível.

Quer saber se aquele vinho que experimentou tem prinxcípios veganos? Dá uma olhada aqui e descubra quais os rótulos que estão sendo produzidos assim! Até a próxima!